QUEM SOU EU...


"Ninguém pode calar dentro em mim esta chama que não vai passar, é mais forte que eu e não quero dela me afastar....



Eu não posso explicar quando foi e nem quando ela veio, mas só digo o que penso, só faço o que gosto e aquilo em que creio..."(Maysa)



Com as outras dores fazem-se versos...com as que doem,grita-se! (Fernando Pessoa)













Quem "grita" como eu......

NITERÓI, LUGAR ENCANTADO!!!

NITERÓI, LUGAR ENCANTADO!!!
Luar dando espetáculo na praia da Boa Viagem!"

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Dia do Mestre



Hoje é o Dia do Mestre!Sou professora,aposentada e,sempre,professora.Sou do tempo em que para ser Mestre do ensino fundamental havia que se fazer concurso para o,na época,famoso Instituto de Educação.As provas eram rigorosíssimas! Ser aluna desta instituição era o orgulho maior das mocinhas da época.Sem falsa modéstia,fui aprovada em segundo lugar em meio a milhares de candidatas.

As famílias dos rapazes "procuravam" moças,alunas do Instituto para serem suas noras.Quando o conseguiam alardeavam que seus filhos estavam comprometidos com uma normalista(o curso era chamado de Curso Normal).Já as famílias das normalistas buscavam os meninos do Colégio Militar ou das outras Forças Armadas como pretendentes às suas meninas.Existe,mesmo,uma comunidade no orkut que fala e exibe fotos do I.E.R.J(Instituto de Educação do Rio de Janeiro).

Era um prédio magnífico e bem cuidado e um ensino perfeito e exigente,nas áreas específicas para a profissão,e em cultura geral.

As meninas do Instituto ainda precisavam manter-se,sempre,impecavelmente uniformizadas,dentro das regras estabelecidas.As blusas,de mangas compridas e tecidos nobres não podiam ser usadas sem "combinação" por baixo,nenhuma trnsparência poderia existir(na época apenas moças frequentavam esta escola).As saias,com suas pregas dentro das larguras estabelecidas e sem um vinco sequer fora de seu lugar.Sapatos de um determinado modelo e meias a determinada altura.Até o cinto,por cima da blusa,devia permitir que criteriosos centímetros dela aparecessem abaixo do mesmo.Havia uma inspetora,D.Jesus,cuja tarefa era verificar os uniformes,que se não estivessem de acordo com as regras,fazia com que a menina retornasse à casa.

Do Instituto saíam as Mestras,já nomeadas pela Secretaria de Educação,com salário razoável e estabilidade!!!

Hoje é o Dia do Mestre e não ouvi em lugar algum menção ao fato,para os alunos só mais um feriado,de repente,nem sabem porquê...

Pensemos na importância do professor e aí falo de todos eles,de todos os segmentos da educação.São o alicerce da sociedade,sem dúvida.Se todas as crianças e jovens estivessem nas escolas,ouvindo e aprendendo com seus Mestres o mundo,para não ir tão longe,esta cidade, estaria menos violenta e assustadora.

No dia de hoje,parem um pouco para pensar nestes lutadores que iniciam os nossos filhos nas belezas do descobrir,do aprender,pois não há prazer que se compare ao fato de,de repente,uma luz abrir-se em nossos horizontes com a aquisição de fatos que,até então,ignorávamos.

Sou professora,hoje é o meu dia,é o seu,é o de muitos de nós pelo Brasil afora...Sejam todos abençoados pela tarefa que escolheram de trazer a luz onde havia escuridão!!!


Com todo o meu carinho,Sonia Regina,15/10/2008

Viagem no tempo...


Encontrei no blog de minha amiga Viviana,"Olhai o lírio do Campo"a postagem de um poema que me levou de volta aos bancos da escola.Já naquela época os poemas me encantavam e se falassem de amor,então...O relato deste poema,para mim,é uma das mais bonitas histórias e prova de amor que um homem pode oferecer à sua amada.Baseado na Bíblia foi motivo de inspiração para o maior poeta português.Daí,peço licença à Viviana para republicá-lo em meu blog,pois relê-lo,o que não o fazia desde a escola me fez viajar no tempo e na emoção!!!


Jacó e Raquel


Sete anos de pastor Jacó servia
Labão, pai de Raquel, serrana bela;
mas não servia ao pai, servia a ela,
e a ela só por prêmio pretendia.

Os dias, na esperança de um só dia,
passava, contentando-se com vê-la;
porém o pai, usando de cautela,
em lugar de Raquel lhe dava Lia.

Vendo o triste pastor que com enganos
lhe fora assim negada a sua pastora,
como se a não tivera merecida;

começa de servir outros sete anos,
dizendo: — Mais servira, se não fora
para tão longo amor tão curta a vida

(Luis Vaz de Camões)


postado por Sonia Regina,15/10/2008