QUEM SOU EU...


"Ninguém pode calar dentro em mim esta chama que não vai passar, é mais forte que eu e não quero dela me afastar....



Eu não posso explicar quando foi e nem quando ela veio, mas só digo o que penso, só faço o que gosto e aquilo em que creio..."(Maysa)



Com as outras dores fazem-se versos...com as que doem,grita-se! (Fernando Pessoa)













Quem "grita" como eu......

NITERÓI, LUGAR ENCANTADO!!!

NITERÓI, LUGAR ENCANTADO!!!
Luar dando espetáculo na praia da Boa Viagem!"

quarta-feira, 29 de abril de 2009

LOUVOR À NOSSA SENHORA DA SAUDADE


Ave-Maria
dos caminhos do sol,
cheia da graça
das flores destes caminhos.

O Senhor está convosco
na criação das belezas.
Bendita sejas entre as mulheres
que sofrem a saudade deste sol.
Bendito é o fruto do vosso ventre
e todos os frutos que saciam a nossa sede,
Jesus!

Santa Maria,
mãe de Deus,
criador de nossas almas eternas,
rogai por nós pecadores
de pecados que não existem sem nós,
agora,no momento de partir,
e na hora de nossa morte
que nos levará,afinal,
ao caminho do sol.

Amém!

Sonia Regina/1992

segunda-feira, 27 de abril de 2009

QUEBRA-CABEÇAS


Nada acontece por acaso...Se tiver nas mãos um quebra-cabeças onde as peças se encaixem,todas na mesma caixa, é porque estão ali com a finalidade de que você as encontre.

A responsabilidade de montá-lo é sua e o que surgirá após a montagem depende de você aceitar ou não.

Somos senhores de nossos atos,até mesmo ao montar um quebra-cabeças!!!
Sonia Regina

sexta-feira, 24 de abril de 2009

ENVELHECER :COM MEL OU FEL?



Conheço muitas pessoas que estão envelhecendo mal. Desconfortavelmente. Com uma infelicidade crua na alma. Estão ficando velhas, mas não estão ficando sábias. Um rancor cobre-lhes a pele, a escrita e o gesto. São críticos azedos, aliás estão ficando cítricos sem nenhuma doçura nas palavras.

Estão amargos. Com fel nos olhos.E alguns desses, no entanto, teriam tudo para ser o contrário : aparentemente tiveram sucesso em suas atividades. Maior até do que mereciam. Portanto a gente pensa : o que querem? Por que essa bílis ao telefone e nos bares ? Por que esse resmungo pelos cantos e esse sarcasmo que se pensa humor ? Isto está errado. Errado, não porque esteja simplesmente errado, mas porque tais pessoas vivem numa infelicidade absurda.

E, ademais, deveria-se envelhecer maciamente. Nunca aos solavancos. Nunca aos trancos e barrancos. Nunca como alguém caindo num abismo e se agarrando nos galhos e pedras, olhando enquanto despenca. Jamais também, como quem está se afogando, se asfixiando ou morrendo numa câmara de gás.Envelhecer deveria ser como plainar. Como quem não sofre mais (tanto), com os inevitáveis atritos.

Assim como a nave que sai do desgaste da atmosfera e vai entrando noutro astral, e vai silente, e vai gastando nenhum-quase combustível, flutuando como uma caravela no mar ou uma cápsula no cosmos.Os elefantes, por exemplo, envelhecem bem. E olha que é uma tarefa enorme. Não se queixam do peso dos anos, e nem da ruga do tempo, e , quando percebem a hora da morte, caminham pausadamente para um certo lugar - o cemitério dos elefantes, e aí morrem, completamente, com a grandeza existencial só aos sábios permitida.

Os vinhos envelhecem melhor ainda. Ficam ali nos limites de sua garrafa, na espessura de seu sabor, na adega do prazer. E vão envelhecendo e ganhando vida, envelhecendo e sendo amados, e, porque velhos, desejados. Os vinhos envelhecem densamente. E dão prazer.O problema da velhice também se dá com certos instrumentos. Não me refiro aos que enferrujam pelos cantos, mas a um envelhecimento atuante como o da faca.

Nela o corte diário dos dias a vai consumindo. E no entanto, ela continua afiadíssima, encaixando-se nas mãos da cozinheira como nenhuma outra faca nova.Vai ver, a natureza deveria ter feito os homens envelhecerem diferente. Como as facas, digamos, por desgaste, sim, mas nunca desgastante. Seria uma suave solução: a gente devia ir se gastando, se gastando, se gastando até se evaporar. E aí iam perguntar: cadê fulano? E alguém diria: gastou-se foi vivendo, vivendo, e acabou. Acabou, é claro, sem nenhum gemido ou resmungo.

Isto seria muito diferente de ir envelhecendo por um processo de humilhações sucessivas, como essa coisa de ir deixando rins, pulmões, dentes e intestinos pelas mesas de cirurgia, numa mutiladora dispersão.

Acho que o que atrapalha alguns maus envelhecedores é a desmesurada projeção que fizeram de si mesmos. Se dimensionaram equivocadamente. Deveria ser proibido, por algum mecanismo biológico, colocarmos metas acima de nossas forças.Seria a única solução de acabar com a fábula da raposa e as uvas. Assim a raposa não envelheceria resmungando por não ter devorado o que não lhe pertencia.

Deveria, portanto, haver um relais, que desligasse nossos impulsos toda vez que quiséssemos saltar obstáculos para os quais não temos músculos.Assim sofreríamos menos e não amargaríamos não ter tido certas mulheres, conquistado certos reinos, escrito certas obras primas.A literatura tem lá seus personagens-símbolos a esse respeito: o Fausto e Dorian Gray.


Apavorados com a velhice e a morte, venderam a alma ao diabo, e em troca pediram a juventude de volta. Não deu certo. O diabo não joga para perder. Dizem que a única vez que foi realmente derrotado foi naquela disputa com o próprio Deus a respeito de Jó. Mesmo assim, deu um trabalho danado.Especialistas vão dizer que envelhece mal o indivíduo que não realizou suas pulsões eróticas essenciais; que deixou coagulada ou oculta uma grande parte de seus desejos.


Isto é verdade. Parcial porém. Pois não se sabe por que estranhos caminhos de sublimação, há pessoas que, embora roxas de levar tanta pancada da vida, têm, contudo, um arco-íris na alma.Bilac dizia que a gente deveria aprender a envelhecer com as velhas árvores. Walt Whitman tem um poema onde vai dizendo: " Penso que podia viver com os animais que são plácidos e bastam-se a si mesmos".Ainda agora tirei os olhos do papel e olhei a natureza em torno. Nunca vi o sol se queixar no entardecer. Nem a lua chorar quando amanhece.



Affonso Romano de San'tanna.30/07/1987

segunda-feira, 20 de abril de 2009

VAI E VEM



Há os que vem
os que estão
os que se foram
e os que passam.

Há os que nunca ficaram
e,sempre,permaneceram
e há aqueles que obrigam
ante nós estar presentes.

Há os que fingem que estão
mas já partiram a muito,
há os que nunca partiram
e nunca,mesmo ,chegaram
mas ,sempre,ao meu lado estão
no pensamento,na saudade e coração...

Sonia Regina/1999

sexta-feira, 17 de abril de 2009

O TRIGAL


No trigal aprendeu a vida.

Ali,junto aos companheiros,presos à imobilidade,aprendeu a paciência.Paciência de esperar o sol
nascer para aquecê-la da umidade do orvalho.Paciência de esperar o ocaso para que o sereno pudesse refrescá-la do calor do sol.E a vida transcorria num dia-a-dia de espera e paciência.


Aprendeu,também,a alegria simples de bailar com a brisa,mesmo que o bailado não a levasse a lugar algum.Alegrava-se com a delícia do balançar e com o frescor da brisa que a acalentava.O sol a fez dourar.Renasceu,sabendo do valor da espera,da paciência e da alegria das coisas simples.


Renasceu,sabendo de horizontes que avistava do alto de sua imobilidade.Renasceu,ainda,com a sensação de que esses horizontes não poderiam ser alcançados,apenas admirados e festejados ao nascer do sol somente por existirem.


Renasceu sabendo muito de esperar e não tanto de sair do lugar...Tentou ser diferente,convencer-se que era gente,começar a caminhar;a sensação das raízes permaneceu e bailou ao vento. A beleza do bailado a embriagou e refletiu que importante é se deixar evoluir com a brisa...e a imobilidade permaneceu!

SoniaRegina/1993

quarta-feira, 15 de abril de 2009

MOINHOS DE VENTO



O ser humano é motivado pela dificuldade,cada impecilho serve-lhe de impulso para continuar...

Tudo que lhe seja fácil,pouco a pouco,o faz buscar caminhos de aventuras.

Pobre ser humano que passa a vida a lutar contra inimigos inexistentes porque isto lhe traz a sensação de que vive mais intensamente!!!

Sonia Regina.

segunda-feira, 13 de abril de 2009

DOCE DELÍCIA DE AMOR



Vou enfeitar minha casa,
daqui a pouco vais chegar.
Flores estão na janela,
eu,ansiosa a esperar.

Fogo aceso na cozinha,
bem baixinho pra aquecer
o mel e o chocolate que
quero te oferecer!

Vens chegando...
já escuto teus passos
no meu jardim.
A hora é de perfumar
com cheirinho de alecrim.

Agora,que já chegastes
te sirvo em taças tão frágeis,
que qualquer gesto mais brusco
pode fazê-las partir.

No instante mais saboroso,
um detalhe a mais te dou:
a pitada de canela
que,entre nós,jamais faltou!!!


Sonia Regina

sexta-feira, 10 de abril de 2009

MEU CREDO!


Creio em Deus-Pai todo poderoso e na Deusa-Mãe criadora,geradora do mais perfeito ser que habitou este planeta terra,Jesus Cristo,seu filho,Nosso Senhor.

Este ser superior nasceu da plenitude,bondade e superioridade da mulher para a missão escolhida,Maria!

Padeceu sob o poder dos homens,então governados por Poncio Pilatos que covardemente lavou suas mãos para agradar ao povo.

Pelos homens,a quem passou lições de Amor,do mais perfeito,foi crucificado,morto e sepultado.

Desceu à mansão dos mortos,de lá indo habitar o reino dos espíritos perfeitos,ao terceiro dia,de onde passou a reinar sobre os vivos e os mortos.

Creio no Santo Espírito que governa o mundo,no reencontro das almas afins,na reencarnação dos espíritos a isso necessitados e que essa opção façam para seu progresso e na Vida Eterna!

AMÉM!!!

Sonia Regina.

terça-feira, 7 de abril de 2009

ESSÊNCIAS


Não sou esta casca
que me esconde;
não sou esta amargura
onde me escondo.
Cresci em sóis e brisas,
em jardins,em arvoredos,
em perfumes e presenças.

Não sou tudo que me falta:
sou a lembrança do amor,
sou a lembrança dos beijos,
sou a chuva,o frio,
o vento amigo,
sou a chama ardendo no meu peito.

Como não sou,não és
o corpo que te abriga,
o corpo que te obriga
a atrasar teu passo
e estar longe daqui...

Não somos corpo somente,
somos a alma imortal,
que é o que nos faz gente,
que é o que nos faz feliz.

Tudo de bom que tivemos,
nossos melhores "sentires",
nossos melhores momentos
em nossas almas estão
gravados em amor e doçuras.

Somos nós prisioneiros
de corpos que têm saudade
de momentos,sempre inteiros,
de pura felicidade,
guardados no coração,
perdidos na mocidade.

Sonia Regina/2000

sábado, 4 de abril de 2009

INSTANTES


Se eu puder viver novamente,tratarei de cometer mais erros,não tentarei ser tão perfeita,relaxarei mais.
Na nova vida serei mais tola do que tenho sido,na verdade muito pouco levarei à sério,serei bem menos exigente comigo e com o outro.

Correrei mais riscos,viajarei mais,comtemplarei mais o por-do-sol;subirei montanhas,nadarei nos rios.Irei a lugares onde nunca fui,tomarei mais sorvete e menos café,terei mais problemas reais e menos problemas imaginários.

Sou dessas pessoas que vive sensata e produtivamente cada minuto da vida.É claro que tive muitos momentos de alegria!Se pudesse voltar a viver,trataria de ter somente bons momentos,porque disto é feita a vida,só de momentos,não se pode perder o agora.

Sou dessas pessoas que nunca vai a parte alguma sem o termômetro,os comprimidos para a dor que poderei ter,uma bolsa de água quente,um guarda-chuva e um...para-quedas.Se voltar a viver viajarei mais leve;começarei a andar descalça no começo da primavera e continuarei assim até o fim do outono;darei mais voltas na minha rua,apreciarei mais "amanheceres" e brincarei mais com as crianças...se tiver outra vida pela frente.

Quem sabe consiga me deseducando,ainda nesta vida,aproveitar os anos que me esperam,antes que a morte me surpreenda e me deixe sem a certeza de que voltarei a viver.

Sonia Regina/1994
(adaptação de crônica de Jorge Luis Borges)

quarta-feira, 1 de abril de 2009

QUE PENA!



Quisera ter sido amada
como,um dia,imaginei;
quisera ter encontrado
aquela minha outra parte
que os livros contam
que as canções cantam
que em emoções se fazem.

Quisera ter sido amada
na proporção do amor que dei,
pois minha vida entreguei
sem medidas,sem pedidos.

É...pedir não pedi nada,
perder foi tudo em mim...
Ninguém a mim chegou
e me olhou como mulher
amada,amiga,namorada.

Pergunto-me nos anos
que me restam,
ou dias ,ou segundos,
onde ficou o amor
que não tive
onde se perdeu o brilho
de meus olhos e de meu coração?

Qualquer dia me vou
mas não inteira.
para Deus,em mim,
falta um pedaço:
aquele que não me deu:
o amor que não possuí,
o carinho das palavras
que jamais escutei.
Saudade que sinto
do que nunca ouvi:
te amo ,te cuido,te protejo com ternura...

Para Deus seguirei desprotegida,
que pena!

Sonia Regina/2000