QUEM SOU EU...


"Ninguém pode calar dentro em mim esta chama que não vai passar, é mais forte que eu e não quero dela me afastar....



Eu não posso explicar quando foi e nem quando ela veio, mas só digo o que penso, só faço o que gosto e aquilo em que creio..."(Maysa)



Com as outras dores fazem-se versos...com as que doem,grita-se! (Fernando Pessoa)













Quem "grita" como eu......

NITERÓI, LUGAR ENCANTADO!!!

NITERÓI, LUGAR ENCANTADO!!!
Luar dando espetáculo na praia da Boa Viagem!"

segunda-feira, 21 de março de 2011

DIA INTERNACIONAL DA SÍNDROME DE DOWN

a>

Hoje, 21 de março, é o Dia Internacional da Síndrome de Down...você sabia?!

Tenho certeza de que a maioria dos que me lerem não sabem disto!


Deixo para todos um texto que escrevi há algum tempo mas que poderia ter escrito hoje, pois até aqui, nada mudou! (reconheço que é longo mas conto com a paciência e compreensão dos amigos.)


**********************************************************************************



PESSOAS INVISÍVEIS, POR ENQUANTO...



Sou mãe de uma mocinha com Síndrome de Down e sábado passado ela e outros iguais foram convidados para adentrarem ao campo do Engenhão de mãos dadas com os jogadores do Botafogo para uma cerimônia sobre a Acessibilidade, antes do início da partida.




Vieram pessoas de longe, enfrentando engarrafamentos e a cerimônia foi realizada com êxito e beleza.




No dia seguinte procurei nos jornais referências ao fato e nada foi noticiado. Daí vem a minha pergunta: -Que cultura é essa que não dá a menor importância a fatos como esse envolvendo a sensibilidade de seres humanos?




Que mídia é essa que estampa em suas primeiras páginas e noticiários televisivos as mulheres-melancia, os cantores associados ao tráfico de drogas, os roubos, assassinatos e um fato belo e importante não tem sequer um comentário em nenhum veículo de comunicação?




Porque pessoas e movimentos como a Acessibilidade de deficientes em lugares públicos e de entretenimento parece não serem vistos por ninguém quando o estádio estava repleto e a imprensa se fazia presente?




Parece que não aconteceu nada e tenho certeza de que a maioria que ler este desabafo também não ouviu falar dele e o motivo é que nossos filhos diferentes, como eu sou diferente de voces todos e da mídia em geral, e todos nós somos diferentes, cada um com a sua necessidade específica, na nossa cultura são seres ignorados, mas lembrem-se, eles existem, se esforçam, brilham em muitos setores artísticos (a minha filha dança como eu nunca consegui fazê-lo e tece tapetes lindíssimos e perfeitos que sequer os vendo porque não têm preço, lê correntemente, interessa-se pelos fatos cotidianos e estuda matemática já tendo, inclusive, recebido medalhas de honra ao mérito pela dedicação ao estudo,como várias outras mocinhas).





Sou eu que estou exaltada, a mídia que é cega, as pessoas é que são insensíveis ou a cultura do país é que não enxerga indivíduos úteis e produtivos em vários aspectos da sociedade?




Afinal, que importância tem que deficientes possam assistir, entrar e sair de casas de espetáculos, estádios,possam circular pelas ruas, entrar em bancos, restaurantes ou em qualquer lugar público com facilidade e segurança?





Essa é a cultura a que a grande maioria está acostumada: deficientes são para se ter "peninha" ou um sorriso complacente...mas isso está mudando com a própria força e esforço deles que suavemente, com suas artes, seus estudos vêm chegando, procurando e ocupando seus espaços!




Um dia, a mídia e todos irão enxergá-los!!!



*************************************************************



Sonia Regina, 02/09/2008