QUEM SOU EU...


"Ninguém pode calar dentro em mim esta chama que não vai passar, é mais forte que eu e não quero dela me afastar....



Eu não posso explicar quando foi e nem quando ela veio, mas só digo o que penso, só faço o que gosto e aquilo em que creio..."(Maysa)



Com as outras dores fazem-se versos...com as que doem,grita-se! (Fernando Pessoa)













Quem "grita" como eu......

NITERÓI, LUGAR ENCANTADO!!!

NITERÓI, LUGAR ENCANTADO!!!
Luar dando espetáculo na praia da Boa Viagem!"

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Porto


Um Porto
é só um lugar
para um barco descansar,
barco cansado da lida
que travou em alto-mar.

Um Porto é um remanso,
um local pra repousar.
Um Porto está sempre ali
a espera daqueles barcos
que nele queiram atracar.

Um Porto, sempre, sugere
abrigo, calma, sossego...
mas um Porto, se ignorado,
pode levar um navio
a perder-se pelos mares
tornando seu capitão desiludido, cansado...

Um Porto, sempre, é o cais
para seu barco parar,
mas esse cais, feito em pedra
de saudades das viagens
realizadas ou não
sua vida vai marcar...


***


Sonia Regina, 1998


.....................................................................................
O TEMPO



O tempo não é minha amiga
aquilo que você pensou:
as festas,as fotos antigas
e aquilo que você guardou,
os móveis,os trastes,
as tranças,os livros
e os velhos cristais,
as doces canções de criança,
lembranças,lembranças demais!

O tempo não para no Porto,
não apita na curva,
não espera ninguém!

Você vem deitar no meu colo
querendo,de novo,ficar;
eu olho e até me assombro,
como pode este tempo passar.
O tempo é areia que escapa
até entre os dedos do amor.
Depois,é o vazio,é o nada,
é areia que o vento levou.

O tempo não para no Porto,
não apita na curva,
não espera ninguém!

O medo correndo nas veias
deixou tanta vida pra trás
e a gente ficou de mãos cheias
com coisas que não valem mais;
e fica um gosto de usado
naquilo que nem se tocou...
a gente dormiu acordado
e o tempo depressa passou.

O tempo não para no Porto,
não apita na curva,
não espera ninguém!

desconheço o autor,postado por Sonia Regina.

2 comentários:

Viviana disse...

Olá querida Sónia,

Está lindo o seu poema, amiga.

Palavras muito belas!

E a imagem é igualmente chamativa.

Aquela cas senhorial antiga...até parece das que os portugueses construiram por aí no passado.

Aquela velha palmeira, altaneira!... que me fez imediatamente lembrar uma que havia na MINHA CIDADE DE INFÂNCIA...


Tenha uma boa noite, amiga linda

Um abraço

Viviana

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Querida Viviana!Aquele cais é mesmo daqueles construído pelos prtugueses...para saudade,tem que ser cais bem antigo,rsrsrs!

Obrigada pelas visitas e durma com Jesus!

Beijos com carinho,Sonia Regina.