QUEM SOU EU...


"Ninguém pode calar dentro em mim esta chama que não vai passar, é mais forte que eu e não quero dela me afastar....



Eu não posso explicar quando foi e nem quando ela veio, mas só digo o que penso, só faço o que gosto e aquilo em que creio..."(Maysa)



Com as outras dores fazem-se versos...com as que doem,grita-se! (Fernando Pessoa)













Quem "grita" como eu......

NITERÓI, LUGAR ENCANTADO!!!

NITERÓI, LUGAR ENCANTADO!!!
Luar dando espetáculo na praia da Boa Viagem!"

sábado, 3 de janeiro de 2009

UMA HISTÓRIA PARA VANUZA PANTALEÃO




Corria a década de 60, acredito que 1965 e eu aos 21 anos, já formada professora, gostava muito de cantar, para ser absolutamente sincera, sentia-me cantora, tocava um violão, ou pensava que o fazia. Naquela época o termo era "bater um violão".

A mocidade era mantida sob controle dos pais e, com o meu irmão mais velho,tinha que ser, sozinha jamais, frequentávamos um clube na Tijuca que às quartas-feiras oferecia em sua programação uma "noitada":"O devaneio musical", rsrsrs!

Ficávamos, um grupo de jovens, alguns tocavam, a sério,instrumentos, a conversar, cantar muito e nos maravilhando uns com os outros e conosco mesmos. Nos sentíamos os artistas.

No clube víamos a noite passar para desespero de minha mãe, pois no dia seguinte eu tinha que ir trabalhar, em Bangu, e lá chegar às sete horas. Pobre mãe que me esperava, por volta das cinco com um copo de leite OFCO ( foi o pai dos leites integrais de caixinha) , que era considerado o leite mais forte e saudável. Eu era magrinha, aliás ainda sou, e a mãe preocupava-se com a minha saúde.

Muitas vezes, muitas mesmo, nos finais de noite apareciam artistas verdadeiros por lá, creio que também estavam terminando as suas noites e iam ver o que aqueles jovens metidos faziam, alguns elogiavam, devia ser por estímulo. Por lá passaram Wilson Simonal ( eu até fiz um dueto com ele) ,Tim Maia, Jorge Ben, Ellen de Lima, compositores, músicos.

Certa noite por lá surgiu,com um grupo um homem magro, bonito, pálido e interessante, principalmente por ser mais velho que o grupo em geral, talvez uns vinte ou trinta anos a mais o que não lhe diminuía o encanto.

Sentou-se conosco, tomou cerveja e alguém entoou a canção "Estão chegando as flores". O grupo fez coro e ele tomou parte nele. Quando a canção terminou todos aplaudiram, na verdade a si mesmos, pois nos achávamos o máximo.

A voz de um dos que chegaram com ele nos perguntou se conhecíamos o autor da música que era nova nos repertórios. Ninguém respondeu e ele nos foi apresentado: - Este é o Paulo Soledade, o autor deste hino que acabaram de aplaudir.

Nós ficamos meio sem graça, e um de nós, para dizer alguma coisa declarou que era a Saudação à Primavera da MPB. O Paulo tornou-se sério e disse que a música era uma saudação à vida. Relatou que estivera seriamente doente (teve tuberculose) e quando começou a sentir-se melhor, pela janela, viu a beleza do sol, reparando que chegavam, vindo pela rua, sua mulher e sua filha e sentiu-se agradecido por estar se recuperando, confessando que dali para diante olharia com mais cuidado por sua saúde (daí o nome da canção ser "Estão chegando as flores!)

Todos ficaram em silêncio, aquele que baixa quando se sente que se fez algo errado e daí ele deu um sorriso cativante e pediu ao conjunto que tocasse a música novamente. Desta vez, ele mesmo iniciou o canto com um sorriso iluminado. Logo todos já cantávamos juntos e neste dia vimos o dia clarear.Confesso que meus alunos, no dia seguinte, não tiveram aula,pois a professora faltou...

Confesso, também, que fiquei algumas semanas sem frequentar os Devaneios: a mãe da professora-cantora a deixou de castigo e ela obedeceu!!!

***

Sonia Regina
....................................................................................



ESTÃO CHEGANDO AS FLORES



Composição: Paulo Soledade



Vê, estão voltando as flores
Vê, nessa manhã tão linda
Vê, como é bonita a vida
Vê, há esperança, ainda

Vê, as nuvens vão passando
Vê, um novo céu se abrindo
Vê, o sol iluminando
Por onde nós vamos indo


postado por Sonia Regina.

17 comentários:

carmen disse...

Eu conheço esta música, veja só!!!
Interessante saber a sua história
Bjs

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Quem colocou o post e a história da música foi a Vanuza e eu lhe disse que havia escutado o relato do próprio autor da música,daí ela me pediu que a contasse com detalhes e aí está...

Bom ter você poe aqui outra vez!

Um beijo,Sonia Regina.

Orlando disse...

Cara Mamãe;
Esta você nunca me contou!!!
Adorei, vou baixar a música e enviar para seu e-mail, assim você se inspira, ainda mais, para seus próximos posts!!!
Muitos Beijinhos.
Orlando Lomardo

Orlando disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Olavo disse...

Legal..essas historias são deliciosas de ler..gostei muito..e conheço a musica tambem..

Minha querida..meu blog é seu..pode usar o que quiser

beijão

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Oi filho!Que bom vê-lo por aqui!!!

Como não contei,você sempre soube que eu era metida a cantar e que frequentava o clube para isto,aliás lá eu conheci seu pai,nos Devaneios.Talvez o detalhe desta história tenha passado,mas agora ficou sabendo.Se frequentar mais o meu blog saberá mais,rsrsrs!!!

Beijos,Mamãe!

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Olavo!Esta música é antológica e a gente sempre passa por acontecimentos aos quais só dá valor com o tempo.Se não fosse a Vanuza colocar a música e o motivo dela ter sido composta em seu post eu,talvez,nem me lembrasse do ocorrido.Coisas de blogueiros!!!!

Obrigada,você,sempre gentil,mas vou usar seu texto mesmo para servir de lembrete para alguns amigos...

Beijos,Sonia Regina.

Pelos caminhos da vida. disse...

É muito bom ter estorias para contar,eu tenho muitas quem sabe um dia eu conto uma.

Domingo de luz amiga.

beijooo.

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Aiii...deu erro no blogger e apagou tudo. Vou repetir:
Olha, estou pra lá de comovida e outra coincidência, ou não, veja, ontem assisti um vídeo antigo do Vinícius onde o Paulo canta uma música que fala "nos olhos da amada". Estou aqui, resolvendo um problema doméstico, mas volto com muita calma, com toda a calma que esse MOMENTO nos merece!Bjs

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Voltei, Sonia!Rsss...e voltei carregadinha de mais e mais indagações. Me perdoe se não posso te poupar. Por esses dias tenho me enrolado aqui com dois gripados, o marido e o filho e homem doente não dá mole, né? Parece-nos que só mulher e mãe não podem adoecer, deixa pra lá!
Olha, li, reli uma boa parte do seu blog e até o post anterior e ainda não terminei. Mas antes de voltar às flores do Soledade, só queria lhe fazer uma nova pergunta, entretanto, se você me achar impertinente e não quiser responder-me, lógico, tem todo esse Direito. Mas é algo simples. Você, no post recente que é perfeito, nos relata que participava de um grupo musical da época(Os Devaneios?), de forma descontraída, mas empolgados. Um detalhe da minha formação: nossa família sempre esteve voltada para os fatos culturais do país e seus Artistas. Portanto, trago em mente, até com certa clareza, muitos nomes, inclusive "os desconhecidos", mas não menos importantes do grande público. Vamos à pergunta? Seguinte: você, em algum momento, chegou a apresentar-se profissionalmente? Cantou em alguma rádio ou TV da época?
Explicação: quando saí da sua página, ainda há pouco, com a cabeça buscando imagens e revirando o baú, uma LUZ se fez! Sim, o nome SONIA REGINA não me era estranho, ou melhor, A VOZ...eu sei que ouvi uma moça cantar muito afinadinho com uma voz deliciosa em algum lugar, mas onde??? Não me leve a mal, amiga, só mais essa: Era você mesma?
Esse rosto que vi agora, seu, no blog, eu vi também...seria o mesmo??? Se não quiser, repito: nem publique. Mas vou ficar me corroendo por dentro e se quiser me responder e não publicar, eu guardarei sua resposta, dou minha palavra!!!
Amanhã, já decidi, vou fazer a correção nas fotos de pai e filho dos Soledade, afinal é uma questão de responsabilidade pública que temos que ter e disso, não abro mão!
Sônia, bons tempos, hein? Vibrei com seu post!
Se você não se opuser, irei frequentá-la sempre que possível, pode ser?
Uma obs.: sou um pouco demorada em publicar novos posts, pois o tempo não me dá tempo, rs.
Meu filho, marido e uma sobrinha jornalista leram e ouviram de mim essa história mágica que está acontecendo em torno do Paulo, suas Flores da Esperança e...VOCÊ!
Um final de domingo suave e uma semana perfumada por todas as Flores que a Amizade e os Bons Sentimentos puderem lhe trazer!!!
Beijos

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Olá,Ana!Quem não tem uma história para contar é porque não viveu,não é mesmo?.Eu tenho algumas,tristes,alegres,curiosas...

Quero ler as suas..de seus caminhos...

Um beijo carinhoso,Sonia Regina.

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Vanuza,estou rindo muito pois nunca imaginei que um fato de meus vinte anos suscitasse um comentário tão extenso;para respondê-lo,toda hora volto a lê-lo,rsrsr!Vamos devagar...

Realmente,somos mulheres-maravilha,imbatíveis,a gente aguenta tuuuudo!

Acho que não me expressei corretamente.O Devaneio Musical era como um evento semanal que acontecia no clube tijucano,não era um conjunto.Havia,sim,um conjunto que tocava durante os Devaneios e que acompanhava os pretenciosos,metidos a cantores.Alguns tinham seus próprios instrumentos como um violão,um cavaquinho e até pandeiro,valia tudo que tivessse som.

Não,não me apresentei profissionalmente,até porque,uma professora,no entender de minha mãe,ainda mais formada pelo Instituto de Educação jamais poderia apresentar-se publicamente.

Eu cantava no clube,em festinhas de amigos,até em festas mais importantes com palco e microfone,mas nunca como "artista",na acepção correta da palavra.

Olha,até,sem falta modéstia eu era afinadinha(ainda sou boa no videokê,rsrs),tinha uma voz pequena,mas diziam muito doce...Como relatei no post fiz um dueto com o Simonal que gostou muito da minha voz,mas foi num show que ele fez no clube e tendo me escutado durante o Devaneio,me chamou para cantar com ele a canção "Você,manhã de tudo meu,você que cedo amanheceu..."Deve conhecê-la...Você só pode ter me escutado se andou lá pelo clube,o que creio um pouco difícil pois deveria ser uma menina!

Quanto ao Paulo só ocorreu o fato porque os boêmios e músicos,me parece que faziam como uma ronda na noite e aconteceu de naquele dia ele aparecer lá pelo nosso canto.


O rosto que viu lhe impressionou porque eu sou uma senhorinha muito bonitinha,rsrsrs!!!!

Venha sempre ao meu espaço!!Só me dará orgulho.Atualmente,apesar de uma vida meio atribulada,por missões deliciosas a mim atribuidas por Deus,posso postar quase todos os dias,até porque são textos escritos pela vida afora e guardados e agora os estou publicando e"... gritando pra todo mundo ouvir...!

Sou frequentadora de seu blog e ele está em minhas visitas obrigatórias.

Só mais uma correção:A cançâo original chama-se: Estão chegando as flores(as flores eram sua mulher e filha),mas,talvez por causa dos primeiro verso difundiu-se como "Estão chegando as flores".

Espero ter lhe tirado todas as dúvidas e lamento não ter sido a cantora que deveria ter tentado ser...bons tempos!!!

Obrigada por seu carinho e nunca imaginei que minhas histórias pudessem ter alguma importância para alguém!!


Muitas flores para você e sua família e obrigada por sua atenção e carinho!!!

Creio que esta amizade trará frutos,um beijo ,com muito carinho,Sonia Regina.

Uma Mulher disse...

Olá

voltando agora de ferias e passando por aqui para desejar-te um maravilhoso ano, repleto de coisas boas, coisas queridas e desejadas...
Nao apenas aquelas que todos nos desejam, mas principalmente as que queremos intimamente e nem sempre temos vontade e coragem de compartilhar!!!

Um 2009 maravilhoso!!!

bjs

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Para Uma Mulher!Que bom estar de volta.

Obrigada pela visita e que seus votos retornem a você com o mesmo carinho com que os enviou!!!!

Um beijo,Sonia Regina.

Jucemir disse...

Sonia Regina e suas doces lembranças...
Quem sabe se num universo paralelo, uma outra Sonia Regina esteja contando sobre o dia em que desistiu de ser professora e , apesar da zanga de mamãe, abraçou a música.

Um beijo sonoro.

Jucemir

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Jucemir!Tenha certeza de que tenho muuuuitas doces lembranças e devo mesmo ser tudo que desejei neste universo paralelo ou,como creio,na próxima vida,abro todas as portas,solto a voz com força e saio a dançar por aí...

Obrigada pela análise gratuita!

Uma suave canção pra você,Sonia Regina.